Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

GTranslate

pten

Opções de acessibilidade

 
Início do conteúdo da página

LANÇADO EDITAL DO CURSO DE DIREITO PARA FILHOS DE CAMPONESES

Publicado: Segunda, 15 de Fevereiro de 2016, 17h58 | Última atualização em Sexta, 08 de Abril de 2016, 11h17 | Acessos: 3005

Veículo: MarabáNotícias

Editoria:Geral     Tipo: Matéria  

Data: Sexta, 12 Fevereiro 2016 - 12:53

Assunto: Unifesspa 

 

 

 

 

Viver na roça não é coisa fácil nem mesmo para quem é dono do seu pedaço de terra, quanto mais para quem sobrevive anos e até mesmo décadas debaixo da lona preta à espera de um pequeno lote da reforma agrária. Viver nessas condições é ter horizontes reduzidos. Para os mais jovens é difícil projetar um futuro muito diferente dos pais. Concluir o Ensino Médio tem sido uma façanha para poucos. Entrar na faculdade, então, é um sonho (seja ela qual for o curso).

Pois é, mas a partir do segundo semestre deste ano, pelo menos 50 jovens filhos de camponeses que vivem nesta região vão começar uma experiência transformadora. Eles vão integrar a primeira turma de Direito do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (PRONERA), na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), cujo edital foi publicado e as inscrições começam no próximo dia 16 e vão até 8 de março.

O que esperar?

O professor doutor Jorge Luís Ribeiro dos Santos, diretor do Instituto de Educação, Direito e Sociedade (IEDS/Unifesspa), que será o coordenador do novo curso, entende que a criação dessa graduação é de suma importância, por ser instalada numa região de conflitos e mortes provocadas por causa da luta pela terra. “Esse curso faz parte de um conjunto de ações afirmativas do governo federal; nada mais justo do que o filho dos camponeses se apropriar das ferramentas jurídicas”, afirma.

Ainda segundo ele, a Unifesspa/UFPA tem experiência de mais de 10 anos atuando com graduações destinadas a populações do campo, formando profissionais em Letras, Agronomia e Pedagogia. E a expectativa agora é de que no segundo semestre do ano que vem os primeiros 50 acadêmicos de Direito estejam em sala de aula.

Jorge Luís diz ter esperança de que o egresso do curso seja um pilar de defesa dos trabalhadores em questões rurais, previdenciárias, criminais e cíveis. Trata-se de uma população historicamente discriminada no que diz respeito às oportunidades, primeiro pela distância física da orça para a cidade, onde estão as universidades, e principalmente pela invisibilidade social dos camponeses.

Na ocasião do lançamento do curso, em 15 de dezembro do ano passado, o reitor da Unifesspa, Maurílio Monteiro, ressaltou que a universidade também é um lugar de disputa da sociedade, e que um dos desafios é produzir conhecimento. “Iniciamos uma trajetória tecnológica importante. Temos que ganhar projetos, e isso somente se dará no embate e na luta”.

O curso

Conforme reza o edital, assinado pelo reitor pro tempore da Unifesspa, Maurílio de Abreu Monteiro, o curso será ministrado no campus I da Unifesspa, na modalidade presencial, em regime de Alternância Pedagógica. Esse regime é composto por dois momentos de formação: o Tempo Universidade e o Tempo Comunidade, com atividades organizadas em calendário próprio para a integralização curricular, com duração de cinco anos.

O Tempo Universidade será desenvolvido com aulas presenciais nas dependências da Unifesspa. As aulas presenciais, do Tempo Universidade, poderão ser realizadas em período integral, concentradas ao longo do semestre, observando a dinâmica das etapas curriculares, com turnos de estudos distribuídos de segunda a sábado.

O Tempo Comunidade será realizado nas comunidades de origem da moradia dos estudantes, para o cumprimento do fluxo curricular da alternância pedagógica, com acompanhamento dos professores.

 

 

0
0
0
s2sdefault
registrado em:
Fim do conteúdo da página