Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

GTranslate

pten

Opções de acessibilidade

 
Início do conteúdo da página

Câmara de Marabá pede a senador que intervenha pela Unifesspa

Publicado: Quinta, 12 de Setembro de 2019, 12h14 | Última atualização em Sexta, 13 de Setembro de 2019, 12h14 | Acessos: 14

Veículo: Correio de Carajás 

Data: 11 de setembro de 2019

Link da Matéria: https://correiodecarajas.com.br/cmm-pede-a-senador-que-intervenha-pela-unifesspa/

CMM pede a senador que intervenha pela UnifesspaDiante da iminente paralisação das atividades da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), devido ao inexplicável bloqueio e corte de recursos por parte do governo federal, vereadores da Câmara Municipal de Marabá (CMM) encaminharam requerimento ao senador Zequinha Marinho. O requerimento pede a intervenção do senador, que é líder da Bancada Paraense no Congresso, no sentido de agendar uma audiência com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, e solicitar o envio dos recursos para manter a instituição.

O documento é assinado pelo presidente da CMM, Pedro Corrêa Lima, vereador Marcelo Alves dos Santos, presidente da Comissão de Educação, Cultura e Desporto; e vereadora Irismar Nascimento Araújo Melo, presidenta da Comissão Especial de Desenvolvimento Econômico.

A ideia dos vereadores é que o reitor da Unifesspa, Maurílio de Abreu Monteiro, participe também da audiência e faça uma explanação – como tem feito – sobre a situação da instituição, que apesar de toda relevância para a região, corre o risco de interromper as atividades a partir do mês que vem.

Os recursos bloqueados e cortados da Unifesspa já chegaram à casa dos R$ 13 milhões e já motivaram o corte de quase 200 ações das 263 programadas pela instituição em 2019. Mas agora nem mesmo as aulas estão garantidas, porque o recurso chegou ao fim.

Paralelamente a essa mobilização da Câmara dos Vereadores, o SindUnifesspa, sindicato que representa os docentes da instituição, junto com o Diretório Central de Estudantes (DCE) e técnicos da Unifesspa, iniciou agenda de mobilização em defesa da universidade.

O calendário de mobilização começou no dia 5, no Campus de Xinguara, no dia 6, Campus de São Félix do Xingu, depois em Marabá, com o Grito dos Excluídos, no dia 7 de setembro; na última segunda-feira (9), na Unidade I, em Marabá (Folha 31); e para esta quinta-feira (12), às 16h, está agendada um grande ato público nas três unidades do Campus de Marabá.

Para se ter uma ideia da importância da Unifesspa, a instituição já formou mais de dois mil profissionais e mantém hoje 5 mil estudantes matriculados em cinco municípios da região. Mantém 42 cursos de graduação, 12 mestrados, três doutorados e três especializações. (Chagas Filho)

0
0
0
s2sdefault
registrado em:
Fim do conteúdo da página