Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

GTranslate

pten

Opções de acessibilidade

 
Início do conteúdo da página

RIO MARIA: Poço com água quente volta ao normal

Publicado: Quarta, 05 de Dezembro de 2018, 17h48 | Última atualização em Quarta, 05 de Dezembro de 2018, 17h55 | Acessos: 93

Santana do Araguaia

 

A dona de casa Maria Valdete, moradora da rua 5 – centro, já está utilizando normalmente a água do poço da sua casa, depois que o mesmo passou 15 dias com a água na média de 45 graus centígrados de temperatura. 

O fenômeno chamou a atenção, pois a água era tão quente que os moradores não conseguiam utilizá-la para tomar banho ou nos afazeres domésticos como lavar louças, roupas etc. Maria Valdete conta que percebeu que água do poço estava quente quando a nora dela foi tomar banho. “Foi um susto grande, a água estava fervendo”, disse. 

A maior temperatura registrada durante o monitoramento realizado pela SEMMATUR (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Turismo) foi de 45°.3 C, sendo que o normal seria em média 27°C. 

Suspeitando de circuito elétrico, os moradores retiraram a bomba do poço, que ficou 3 dias fora d´água, mesmo assim a água ainda continuou quente. 

Outro detalhe levantado foi que a água quente retirada do poço demorava cerca de 1 hora para esfriar dentro do balde. 

A água sai da cisterna que tem cerca de 15 metros de profundidade, e é bombeada para uma caixa d´água e vai direto para as torneiras. A dona de casa usa a água há mais de 10 anos e nunca tinha presenciando uma situação como essa. 

BOATOS: A notícia já se espalhou pela cidade e muitos moradores, sobretudo os vizinhos de dona Valdete comentam que o fenômeno possa se tratar de um vulcão que estava adormecido ou uma mina de ouro escondida no fundo do poço. De qualquer modo, só um trabalho minucioso poderá desvendar o fenômeno. 

A SEMMATUR recomendou a não utilização da água e efetuou a coleta de material e realizou o monitoramento da temperatura da água de hora em hora na referida residência. Tais dados foram repassados para o CPRM - Serviços Geológicos do Brasil, bem como a SEMMATUR tem buscado parceria com a UFPA e UNIFESSPA para realizar um estudo ampliado de tal fenômeno.

No momento o caso encontra-se sob análise de Homero Reis de Melo Junior (Gerente de Hidrologia e Gestão Territorial, e superintendente inteirinho da CPRM), César Chaves (Gerente de Geologia e Recursos Minerais da CPRM) e de Jânio Nascimento (Superintendente da CPRM).

Casos como este não são de frequente ocorrência principalmente em nossa região. “Logo que obtivermos respostas dos órgãos especializados tornaremos pública a resposta a essa problemática. Vale ressaltar que a temperatura da referida água já voltou à sua normalidade”, afirmou Maraica Gomes dos Santos da SEMMATUR.

Idelson Gomes

Link:http://an10.com.br/noticias/10655-RIO-MARIA

0
0
0
s2sdefault
registrado em:
Fim do conteúdo da página