Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

GTranslate

pten

Opções de acessibilidade

 
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Unifesspa comemora avaliação positiva da Capes nos Programas de Pós-graduação

  • Publicado: Quarta, 14 de Setembro de 2022, 16h16
  • Última atualização em Quinta, 15 de Setembro de 2022, 09h23
  • Acessos: 286

pdtsa dez anos Programas de Pós-Graduação da Unifesspa receberam aumento na nota dos cursos após a avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O resultado foi divulgado nesta segunda-feira (12) e apontou que quatro dos treze programas de pós-graduação da Unifesspa subiram suas notas, dois acadêmicos passaram de 3 para 4 e dois programas profissionais em rede passaram de 4 para 5.

Os Acadêmicos que tiveram aumento na nota de 3 para 4 foram: Programa de Pós-graduação Territoriais e Sociedade na Amazônia (PDTSA) e o Programa de Pós-graduação em Letras (POSLET). Já os profissionais que tiveram aumento de 4 para 5 foram: Programa Nacional de Mestrado Profissional em Ensino de Física (MNPEF) e o Mestrado Profissional em Ensino de História (ProfHistória).

De acordo com o pró-reitor de pós-graduação, pesquisa e inovação tecnológica (Propit), em exercício, Francisco Adriano Carvalho, atualmente a avaliação da Capes é quadrienal (2017-2020) no qual as 49 áreas de conhecimentos da Capes avaliam os programas em três eixo: programa; formação e impacto na sociedade. “Os resultados da avaliação periódica de programas de pós-graduação são expressos em notas, numa escala de 1 a 7, que são atribuídas ao Programa após análise dos indicadores referentes ao período avaliado. Esta análise é conduzida nas comissões de área de avaliação e, posteriormente, no Conselho Técnico Científico do Ensino Superior (CTC-ES), que homologa os resultados finais”, explica.

Ainda segundo Adriano, o resultado obtido pelos programas de pós-graduação na avaliação quadrienal da Capes (2017-2020) demonstra todo o esforço empenhado. “Esse resultado reitera o esforço da Unifesspa e o nosso posicionamento de aprimorar e ampliar o ensino, a pesquisa, a extensão e a inovação tecnológica. Também é um reconhecimento de que estamos produzindo um trabalho com maior qualidade e na direção certa. Mesmo tendo uma trajetória recente na pós-graduação, nossos programas demonstram uma evolução permanente na qualidade e na expansão da oferta de cursos de pós-graduação na região do sul e sudeste do Pará”, destacou.

Para a coordenadora do PDTSA, Andrea Hentz, o conceito 4 representa todo o esforço e união de um colegiado e corpo discente que nos últimos anos trabalharam incansavelmente. “Para compreender a importância da nota 4 para o PDTSA é necessário a realização de um resgate histórico. Com a criação da Unifesspa, o PDTSA, existente desde 2011 (quando ainda UFPA), integrou-se à estrutura institucional do Instituto de Ciências Humanas (ICH), e no decorrer dos anos, as coordenações e os professores membros do colegiado trabalharam para o fortalecimento e consolidação estratégico do programa.  Apoiados e incentivados, o corpo docente e discente, a partir de 2017, ocasião da primeira avaliação quadrienal,  passa a pensar e planejar formas de alcançar maior visibilidade, aderência, atualização das áreas de concentração do programa, internacionalização, linhas de pesquisa e aprovação de projetos vinculados a grade curricular, buscando assim,  melhorar a cada ano,  a infraestrutura física do PDTSA e o aprimoramento intelectual, através das suas publicações equalizadas e de fator de grande impacto, como preconiza a Capes”, explanou.

Sobre a possibilidade de implantar o programa de doutorado Andrea Hentz explica que esse é um passo muito importante e muito maior. “Nestes 10 anos de existência, formamos 178 mestres, e com a nossa missão acadêmica e social, o PDTSA tem desenvolvido por sua proposta, seus objetivos e seus projetos a consolidação, em uma região com reduzida tradição em pós-graduação”.

Outra pesquisadora a comemorar o aumento da nota pela Capes, foi o coordenadora ex-coordenadora do POSLET, Renata Dalmaso, que destacou que o aumento da nota reflete um programa que, apesar de jovem, já demonstra amadurecimento. “Significa um reconhecimento do trabalho de docentes e discentes, além de apontar para o potencial de crescimento na região e no país. Como qualquer programa novo, tivemos muitos desafios a enfrentar, fora a pandemia, então a perspectiva agora é da continuação desse trabalho em circunstâncias mais favoráveis, o que é muito promissor”.

O atual coordenador do Poslet, Abilio Pachêco, lembra que esse reconhecimento o programa passa a ter critério para enviar a proposição para a instalação de um curso de doutorado. “Desde julho, tínhamos esta expectativa e já iniciamos a redação da proposta com o auxílio das instituições parceiras no Procad-AM (UFNT e UFRGS). Com a concretização da nota 4, o colegiado do programa vai criar uma comissão para dar continuidade à redação da proposta. Se tudo der certo, quem sabe tenhamos um programa de doutorado em Letras na Unifesspa em 2024”, enfatiza.

Para o reitor, prof. Francisco Ribeiro, "o resultado dos nossos conceitos na pós-graduação é fruto de muito trabalho dos docentes e discentes envolvidos nos programas. Sabemos que é um trabalho árduo, mas fundamental para o amadurecimento da nossa instituição, para a fixação de pesquisadores aqui no interior da Amazônia e para o desenvolvimento da região, e a elevação dos conceitos é reconhecimento disso. Agora, poder nos candidatar para ofertar doutorado significa que vamos nos firmar no rol das instituições que produzem conhecimento de ponta", conclui.

registrado em:
Fim do conteúdo da página