Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

GTranslate

pten

Opções de acessibilidade

 
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Instituto de Estudos do Xingu vai sediar I Simpósio de uso sustentável do solo

  • Publicado: Terça, 19 de Novembro de 2019, 09h32
  • Última atualização em Terça, 19 de Novembro de 2019, 09h42
  • Acessos: 3284

Uso sustentável do solo 1O I Simpósio de Uso Sustentável do Solo será realizado no período de 5 a 7 de dezembro de 2019 em São Félix do Xingu. O evento é organizado pelo Instituto de Estudos do Xingu e Instituto de Estudos do Trópico Úmido da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (IEX/Ietu/Unifesspa).

O evento é pioneiro na região e tem como proposta divulgar e/ou incentivar o desenvolvimento sustentável da região, por meio de palestras, oficinas, feira de exposição científica na rua, ação comunitária para reflorestamento em áreas verdes do plano diretor municipal, além de demonstrar a experiência de outros produtores sobre a conservação do solo aliado a uma cobertura do solo adequada que gerará bons resultados na produção agrícola.

O simpósio pretende ao final que os participantes sejam multiplicadores das informações adquiridas nesses dias, que a longo prazo a região de São Félix do Xingu não esteja na lista das cidades que mais desmatam na região amazônica.

A degradação do solo traz consigo prejuízos como enchentes, mudanças climáticas e alteração dos ciclos biogeoquímicos. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) 33% dos solos do mundo estão degradados. Na América Latina, a estimativa é de que aproximadamente 50% dos solos estejam sofrendo algum tipo de degradação.

Considerando apenas erosão, a estimativa de perda de solos varia entre 25 a 40 bilhões de toneladas por ano, o que afeta a produtividade das culturas agrícolas e florestais, devido à perda de carbono, de micro-organismos benéficos, de matéria orgânica que causa o desequilíbrio nutricional. Por exemplo, para cada metro quadrado de solo perdido por erosão, ocorre a perda de bilhões de organismos. Consequentemente, há um prejuízo na ciclagem de nutrientes, na decomposição da matéria orgânica, entre outros serviços ecossistêmicos essenciais para a manutenção da vida no planeta, pois os organismos do solo desempenham papel importante.

As alterações causadas no solo devido o manejo inadequado reduz o crescimento e desenvolvimento das culturas e reduz as áreas agricultáveis. Considerando apenas a cultura de cereais, umas das principais fontes de alimentos para a população, a estimativa de perda de produção causada apenas pelos processos erosivos é de aproximadamente 7,6 milhões de toneladas por ano, podendo em 2050 alcançar a patamares de 253 milhões toneladas de perdas de cereais ao ano. Esse fato é preocupante levando em consideração que em 2050 a estimativa da população mundial será de cerca de 8,5 bilhões de pessoas e a demanda por alimentos 60% superior aos dos dias atuais.

A perda da capacidade produtiva do solo afeta a segurança alimentar, principalmente da população carentes em países subdesenvolvidos e em desenvolvimento, como o Brasil. A perda da camada arável, devido aos processos erosivos, aumenta a demanda por fertilizantes, levando ao aumento dos custos de produção e volatilização dos preços dos alimentos.

No intuito de gerar um debate sobre a importância do solo para a manutenção da vida, o IEX vai promover debates com os atores das cadeias de produção dos mais variados produtos agrícolas, como a sociedade civil, organizações não-governamentais, estudantes e produtores rurais da região de São Félix do Xingu sobre as temáticas voltadas ao desenvolvimento sustentável na região. Entre os dias 5 a 7 de dezembro de 2019 será realizado evento com debates voltado a preservação do solo e a importância do solo para o desenvolvimento agrícola da região com menores impactos sobre a qualidade biológica e físico-químicas do solo. Buscando então a conscientização desses produtores do papel que exercemos na conservação do solo, na otimização da produção e, assim, garantir a qualidade das propriedades do solo a longo prazo.

Confira a programação

5/12 (Quinta-feira)

Manhã

8h - 12h

Ação na rua sobre o dia mundial de solos - Debates sobre degradação e conservação do solo e feira de divulgação científica 

12h

Almoço coletivo

Tarde

14h - 18h

Plantio de árvores em uma área degradada no município de São Félix do Xingu

6/12 (Sexta-feira)

Manhã

8h – 9h40

Minicursos

9h40 – 10h 

Coffee-break 

10h–12h

 Minicursos

12h – 14h

Almoço livre

Tarde

Mesa de abertura

14h – 14h10

Importância do solo para a manutenção da vida

Palestrante: Wallace Beiroz Imbrósio da Silva

14h10 – 14h50

Palestra 1: Agricultura familiar e conservação do solo

Palestrante: CPT

15h – 15h40

Palestra 2: As pastagens na manutenção da qualidade do solo.

Palestrante: Eloise Mello Viana de Morais

15h50 – 16h30

Palestra 3: Relação entre agricultura e conservação do solo pelos povos indígenas

Palestrante: A definir

16h40 – 17h10

Coffee-break

17h10 – 18h40

Mesa-redonda

1.    Relação entre a exploração mineral, degradação do solo e ecotoxicologia

2.    Erosão, assoreamento de rios e degradação da biota aquática

3.    Biorremediação em áreas de mineração

Palestrantes:

                             Edna Santos de Souza

                             Daniel Clemente Vieira Rego da Silva

                             Josineide Rodrigues da Costa

 

18h20 – 18h30

 Encerramento – Arinaldo Pereira da Silva

Noite

19h0 – 22h0

 Cultural – A definir

7/12 (Sábado)

 

8h – 12h

Minicursos

0
0
0
s2sdefault
registrado em:
Fim do conteúdo da página