Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

GTranslate

pten

Opções de acessibilidade

 
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Psicologia: Palestra aborda uso de plantas medicinais no tratamento da ansiedade

  • Publicado: Quarta, 09 de Outubro de 2019, 09h51
  • Última atualização em Quarta, 09 de Outubro de 2019, 09h52
  • Acessos: 63

IMG 7850No último dia 4, a Faculdade de Psicologia da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) promoveu, em Marabá, palestra sobre os efeitos psicoativos de plantas do gênero Montanoa. Ministrada pelo prof. Juan Francisco Rodríguez-Landa, da Universidade Veracruzana do México, a palestra reuniu estudantes e pesquisadores da área. 

Conhecidas no idioma Nahuatl por Zoapatle ou Cihuapatli (em português: “erva da mulher”), essas plantas são utilizadas na medicina tradicional mexicana para o tratamento de alterações reprodutivas. Segundo o professor Rodríguez-Landa, o estudo espera encontrar alternativas de tratamento da ansiedade por depressão associada a baixos níveis hormonais.

A visita do professor Juan Francisco à Unifesspa ocorre após ele conhecer trabalhos científicos publicados pelo prof. Dr. Caio Maximino (Fapsi/Unifesspa), que foi convidado para ministrar conferência na Universidade Veracruzana. A parceria entre as instituições continuou com a mobilidade acadêmica de dois alunos do professor que vieram estudar na Unifesspa.

Agora, os pesquisadores buscam fortalecer a colaboração entre suas instituições, objetivando novas publicações científicas e mobilidade acadêmica de estudantes, técnicos e professores da graduação e pós-graduação. “Com essas colaborações, qualificamos muito nossas pesquisas, investigando coisas que não conseguiríamos se estivéssemos só aqui”, explica o professor Caio Maximino.

Ainda segundo o professor Caio Maximino, a parceria ajuda a qualificar ainda mais os estudantes das duas universidades. “Os alunos mexicanos que vieram estudar na Unifesspa aprenderam muitas técnicas e formas de trabalhar, que não são as que eles costumam utilizar. Puderam fazer experimentos e trocar experiências com estudantes e pesquisadores. Agora queremos que os nossos alunos possam ir até a Universidade Veracruzana para ter essa mesma experiência”.

0
0
0
s2sdefault
registrado em:
Fim do conteúdo da página