Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

GTranslate

pten

Opções de acessibilidade

 
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Propesca: Atividades do monitoramento participativo da pesca serão apresentadas nas Colônias de Pescadores do Pará

  • Publicado: Terça, 08 de Janeiro de 2019, 10h06
  • Última atualização em Terça, 08 de Janeiro de 2019, 15h56
  • Acessos: 533

Reunião 2Neste mês de janeiro, a agenda dos integrantes do projeto de monitoramento participativo da pesca no Pará e no Tocantins (Propesca) está bastante intensa. Esse grupo de pesquisadores que pertencem a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o Instituto Federal do Tocantins (IFTO) realizaram na última quinta-feira (03/01), uma reunião na Colônia de Pescadores de Marabá - Z-30, com o propósito de apresentar o projeto à nova diretoria da Z-30.          

Já nesta quinta-feira (10/01), será realizada uma reunião com o pessoal da Colônia de Pescadores de São João do Araguaia - Z-43, às 9h da manhã, na sede da Colônia que fica localizada na Vila Apinajés.

No dia 13 de janeiro, haverá reunião com a equipe da Colônia de Pescadores de São Geraldo do Araguaia - Z-89, às 16 horas, na sede da Colônia, no bairro Beira Rio/São Geraldo.

Já no dia 19 de janeiro, a equipe do Projeto Propesca fará o acompanhamento da reunião da Associação da Comunidade Ribeirinha Extrativista Vila Tauiri (Acrevita) com a Defensoria Pública do Estado do Pará, às 9h da manhã, na Quadra Poliesportiva da Comunidade de Tauiri, em Itupiranga.

No dia 20 de janeiro, será realizada a soltura de quelônios da base avançada do Projeto Quelônios na Vila Tauiri, em Itupiranga. O Projeto Quelônios é coordenado pelo Núcleo de Educação Ambiental (NEAm/Unifesspa), tendo como responsáveis o professor José Pedro de Azevedo Martins e o técnico da Unifesspa Jucelino Bezerra de Souza.

Também já está marcada uma reunião ampliada com os pescadores para o próximo dia 26 de janeiro, na sede da Colônia de Pescadores de Marabá. E nos dias 28 e 29 haverá reunião com os colaboradores do Propesca para discutir e planejar colaborativamente os próximos meses do projeto.Equipe Propesca

               

Propesca em Atividades

Em 2017 e 2018 o Propesca organizou em colaboração com as comunidades e parceiros envolvidos os primeiros resultados deste trabalho que culminou em um Seminário na Vila Tauiri e uma Mostra de Pesquisa, Ensino e Extensão no município de São Geraldo do Araguaia.

O projeto intitulado “Monitoramento e Gestão Participativa da Pesca Artesanal como Instrumento de Desenvolvimento Sustentável em Comunidades da Região Amazônica (TO/PA/RR) - Propesca”, será desenvolvido pela Embrapa, em parceria com a Unifesspa e IFTO com recursos do Fundo Amazônia no período de 2018 a 2020.

A primeira reunião ampliada para planejamento do projeto aconteceu em setembro de 2018 em Palmas, na sede da Embrapa Pesca e Aquicultura.

O Propesca tem por finalidade realizar o levantamento da produção da pesca nos estados de Roraima, Tocantins e Pará de forma participativa e colaborativa junto com pescadores.

               

Primeira Expedição

Entre os dias 04 a 09 de dezembro foi realizada a primeira expedição conjunta com a equipe responsável pelo Propesca, que se reuniram em Marabá e foram para campo apresentar e planejar colaborativamente com as comunidades o monitoramento da pesca no Tocantins e no Pará. Participaram desta expedição Adriano Prysthon, coordenador geral do projeto pela Embrapa, o professor Jessé Sobczak que coordenará as ações no Tocantins pelo IFTO, a professora Cristiane Cunha que coordenará as ações no Pará e a bolsista Priscila Kellem Lima, da Unifesspa. Ainda participou desta expedição o consultor em estatística de pesca, Aristide Lima-Green, que juntamente com a equipe - alinha as futuras análises de dados do projeto.

No Tocantins, a equipe do Propesca reuniu-se na Colônia de Pescadores de Esperantina (Z- 21) com pescadores das comunidades de Pedra Grande, Tenente Marinho, Povoado São Francisco e Campestre, onde foi apresentado o projeto e selecionados os monitores de pesca, que ficarão responsáveis juntamente com o professor Jessé para coletar as informações do desembarque pesqueiro do município.

No Pará, a reunião foi realizada na comunidade ribeirinha extrativista Vila Tauiri, com os pecadores da região de Itupiranga onde foi discutido sobre a melhor forma de continuar o monitoramento da pesca para os próximos anos. Nesta reunião, a comunidade acordou solicitar apoio ao Ideflor-Bio, Gerência Administrativa de Tucuruí, afim de unir esforços ao trabalho que comunidade já vem realizando de forma semelhante ao desenvolvido por esta instituição. Em janeiro haverá nova reunião para se definir os monitores de pesca e a metodologia a ser utilizada.

Na oportunidade, também foram realizados os contatos iniciais com as representações do setor pesqueiro de Apinajés (São João do Araguaia) e Santa Cruz dos Martírios (São Geraldo do Araguaia).

“Em nome de toda a equipe do Propesca, agradeço em especial a atenção dada pela equipe do Departamento de Logística e Transporte da Unifesspa que tem auxiliado nas expedições de campo e ao Ideflor-Bio Gerência do Araguaia”, disse a professora pesquisadora Cristiane Cunha.

Novas ações do Propesca para mobilização em comunidades no Pará e Tocantins serão realizadas este ano. A proposta é de que em março todos os monitores de pesca já estarão capacitados para o início da coleta de dados.Reunião na comunidade

               Fotos: Priscilla Sena

0
0
0
s2sdefault
registrado em:
Fim do conteúdo da página