Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

GTranslate

pten

Opções de acessibilidade

 
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Unifesspa anuncia 4º Festival Internacional Amazônida de Cinema de Fronteira

  • Publicado: Quarta, 21 de Fevereiro de 2018, 16h14
  • Última atualização em Quarta, 21 de Fevereiro de 2018, 17h54
  • Acessos: 1093

arte do cartazO 4º Festival Internacional Amazônida de Cinema de Fronteira já tem data definida. Será de 12 a 16 de abril, com programação em Marabá, Belém, Acampamento da Juventude Sem-Terra, Aldeias Indígenas, Araguaína – TO, Porto Grande – AP e Lima – Peru.

A Diretoria de Ação Intercultural da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis (DAI/PROEX), da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) lançou nesta terça-feira (20/02), a arte da mostra cinematográfica, criada pelo professor Evandro Medeiros, curador do festival, em parceria com Alexandra Duarte, da agência Tramateia Produções.

Nesta edição, o festival presta homenagem a Paulo Fonteles Filho, o "Paulinho Fonteles", militante comunista defensor dos direitos humanos, falecido recentemente. Paulinho Fonteles colaborou com produções do cinema do front na região sudeste do Pará e participou do FIA CINEFRONT nos anos anteriores. O festival lhe rende homenagem por sua história de vida e atuação política na defesa dos direitos daqueles que ele definia como os camponeses do Araguaia,no trabalho junto à Comissão da Verdade e no grupo de busca dos corpos dos mortos pelo exército no período da Guerrilha do Araguaia.

O cartaz do festival se inspira na identidade estética e ética do evento, como espaço de apresentação do "cinema do front", comprometido com a visibilização das lutas populares na fronteira amazônica e das realidades sociais conflituosas em outras regiões do país e do mundo, em especial na África e América Latina, colocando em debate as consequências negativas do desenvolvimento capitalista nestes contextos e as histórias de enfrentamentos protagonizados pelas populações locais atingidas.

Além da representação da diversidade – de gênero, social, política, cultural e ecológica – que marca a realidade na fronteira como lugar de vidas e não apenas reserva de recursos naturais e parques de instalação de empreendimentos capitalistas, os planos em cores transparentes evocam a necessidade das interconexões entre os agentes do front e da resistência popular nos diferentes contextos, a necessidade de "globalizar a luta".

Na arte do cartaz aparecem em destaque um indígena e um trabalhador rural sem-terra, fazendo alusão aos filmes que serão apresentados nesta edição, que abordam a realidade indígena e camponesa na região sudeste do Pará e suas lutas em meio ao processo recente e contínuo de "ocupação da Amazônia", desencadeado pelo Governo Militar durante a Ditadura no Brasil. Apresenta também, as cidades onde acontecerão as sessões do festival já confirmadas e reafirma a parceria da Unifesspa com os movimentos sociais na realização do evento, além de sua internacionalização a partir da ocorrência simultânea de sessões em Lima, no Peru, realizadas pela Pontificia Universidad Católica del Perú – PUCP.

O evento é uma realização da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), em parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Peru (PUCP), o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a Comissão Pastoral da Terra (CPT), a Fundação Cultural do Estado do Pará, o Curuwinsi Cine – Tarapoto Peru e a Tramateia Produções.

Os interessados em estabelecer parcerias e/ou colaborar com a realização das sessões do FIA CINEFRONT 2018 podem fazer contato com a organização do evento. A Diretoria de Ação Intercultural da Proex funciona na Unidade III, do Campus de Marabá (Loteamento Cidade Jardim). Mais informações pelo telefone 2101-7134.

0
0
0
s2sdefault
registrado em:
Fim do conteúdo da página