Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

GTranslate

pten

Opções de acessibilidade

 
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Comitê de Monitoramento publica relatório de novembro e alerta: festas de fim de ano podem agravar cenário da pandemia na região

  • Publicado: Quarta, 30 de Dezembro de 2020, 13h11
  • Última atualização em Quinta, 07 de Janeiro de 2021, 18h03
  • Acessos: 155

relatório covid dezembroO Comitê Científico de Monitoramento da COVID-19 da Unifesspa acaba de publicar o relatório sobre o cenário da pandemia na região, em particular, nas cidades onde a universidade possui campus. E o contexto é preocupante, alertam os cientistas. Confira aqui o relatório

Os dados são referentes às semanas epidemiológicas 45, 46, 47, 48, do mês novembro. Nesse mês, foi observado o crescimento do número de casos de Covid-19 no Pará, na região Sul e Sudeste do Pará e nos cinco municípios dessa série: Marabá, Rondon do Pará, Santana do Araguaia, São Felix do Xingu e Xinguara. A recomendação para os órgãos de gestão e fiscalização e controle, expressa no relatório técnico, é” reforçar as medidas de prevenção e de segurança sanitária para diminuir as aglomerações, especialmente em decorrência das festas de fim de ano, que podem piorar o cenário atual”.

O documento traz uma análise dos novos casos e óbitos em comparação aos meses anteriores. Uma novidade no relatório de novembro é a apresentação de duas novas análises: a série histórica da Covid-19 em todo o Pará e na região sul e sudeste, com os gráficos e análises contendo as projeções para casos e óbitos em cada um dos cinco municípios analisados.

Os cientistas do Comitê ressaltam, ainda, que, desde o dia 3 de setembro de 2020, dados sobre isolamento social no Pará não são divulgados pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Segup), o que impede as análises e comparações sobre essa informação.

Dados

A análise de tendência e projeção da Covid-19 na região Sul e Sudeste do Pará está apresenta tendência de aumento entre o número de casos e estabilização do número de óbitos.

Em relação à taxa de mortalidade (total de mortes por 100 mil habitantes), houve aumento em Marabá e São Félix do Xingu, sendo que Marabá continua com a maior taxa, de 75,5, entre os municípios analisados. Em Santana do Araguaia e Xinguara, a taxa de mortalidade se manteve a mesma, e houve uma pequena diminuição no caso de Rondon do Pará.

Sobre a taxa de letalidade, que é a porcentagem do número de óbitos em relação ao total de casos, Rondon do Pará é o município com maior taxa, apesar de ter havido uma queda em relação ao mês anterior (passou de 6,0% em outubro para 5,8% em novembro), o que se justifica pela ausência de óbitos neste município em novembro. Em São Félix do Xingu houve um pequeno aumento em comparação com outubro.

Nesse sentido, os pesquisadores destacam que “é importante observar com cautela esta ausência de óbitos por Covid-19 em Santana do Araguaia e Xinguara por dois meses consecutivos. Os dados indicam diminuição da letalidade da doença, entretanto, fica o alerta a respeito da diminuição das testagens realizadas e o atraso da confirmação dos dados ao estado, o que torna de extrema importância transparência na divulgação das informações pelo poder público municipal”.

0
0
0
s2sdefault
registrado em:
Fim do conteúdo da página